Muito Obrigado pela visita! Aproveite para se cadastrar gratuitamente como seguidor(a).

O primeiro dia de vida de uma criança, segundo "Chico Xavier" é a sua primeira aula! Conheça aqui mais de 400 artigos relacionados com Educação e a Matemática. Acesse e compartilhe!
Hoje é


Quer aprender Raciocínio Lógico, realizando muitas atividades e estudando sozinho? - Para acessar: →

Translate

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Laboratório em Matemática!

Que tal desenvolver um Laboratório em Matemática na sua escola?
Sempre tivemos um enorme fascínio pelas atividades práticas em laboratórios em todos os níveis do conhecimento, e com maior ênfase na escola básica, especialmente aquelas que ensinam os alunos trabalhando os conteúdos escolares de todas as disciplinas. Quando focamos essa prática envolvendo o ensino de Biologia, Química e Física, concordamos que o interesse e a motivação em aprender sempre ficam a flor da pele. Esse recurso que usa as experiências científicas envolvendo os alunos sempre é bem visto e aceito pelos estudantes e por isso, se o professor se envolver, certamente vai colher bons frutos. Não tenho a menor dúvida de que os alunos ficam envolvidos e motivados e levam essas experiências de aprendizado para toda uma vida e aprendem muito com esses conhecimentos. Mas, é preciso planejar eficientemente essa atividade para obtermos todo o sucesso esperado.
No entanto, infelizmente quase nunca nos deparamos com algo parecido e que fosse aplicado eficientemente no ensino e aprendizado de Matemática, ou seja promovendo atividades práticas, que sejam voltadas para incentivar o aprendizado dessa importantíssima disciplina escolar. A grande distância entre as experiências vivenciadas nos laboratórios e a teoria matemática trabalhada em sala de aula é enorme, existindo uma lacuna, quando focamos o estudo da matemática usando esse tipo de atividade em laboratório. Quem nunca ouviu de seus alunos perguntas do tipo: Onde vou usar isso ou aquilo? Por que devo aprender tal conteúdo? ... Essa prática pode responder tais questionamentos de uma maneira bem prática e intencional.

Sabemos que existem muitos conteúdos da matemática que podemos trazer para o laboratório escolar. Assim, levando esse conhecimento, envolvendo a parte prática, podemos eliminar o grande vazio, que existe entre o conteúdo teórico e a prática disso na vida cotidiana de todos os estudantes. Poderíamos tomar o exemplo bem sucedido das experiências das matérias co-irmãs já mencionadas e que fazem muito sucesso com esse tipo de atividade. Uma grande vantagem ao promovermos essas práticas é que os alunos aprendem realizando as atividades colocando a "mão na massa" e a memorização vai se dar, não mais pela decoreba e sim pela assimilação através da experiência e assim eles dificilmente vão esquecer os conteúdos aprendidos.

Assim, vamos dar alguns poucos exemplos que devem ser complementados e devidamente planejados, para que nosso leitor possa ter uma ideia de como poderia fazer para levar esse importante recurso educativo na escola básica, usando os conhecimentos da Matemática.







1. Primeiramente devemos ter um espaço (sala) específico pré-definido na escola para realizar essa atividade, com autorização, apoio de toda equipe escolar e que seja desenvolvida pelo professor responsável que seja devidamente treinado para promover esse tipo de recurso educativo. Alguns sugerem até que esse espaço pode ser na quadra da escola, na horta comunitária, na sala de informática, biblioteca, ou qualquer outro local previamente definido;

2. Os laboratórios precisam ser desenvolvidos com os materiais específicos para esse tipo de trabalho, para que os alunos e os professores tenham meios e subsídios ricos para demonstrarem, na prática, suas teorias. É a oportunidade ímpar de envolver os alunos, pois eles certamente vão pesquisar e se envolverem, comprovando as teorias anteriormente aprendidas nas salas de aulas convencionais. Assim, para ensinar e aprender medidas, comprimentos, perímetros, áreas, volumes, etc. devemos ter à disposição, metros, réguas, esquadros, sólidos geométricos (caixas, cubos, paralelepípedos), entre outros materiais que possam ser usados para essa finalidade;

3. Uma proposta que pode ser debatida é usarmos o laboratório livre, que consiste na apresentação e escolha de conteúdos livremente por parte dos alunos e para cada caso, busca-se relacionar as idéias com conhecimentos novos a serem aprendidos. Assim, pegamos alguns conteúdos do programa, apostila de estudos ou livro didático e levamos para o laboratório para ser trabalhado com todos materiais relacionados;

4. Podemos também usar o laboratório experimental que consiste em que cada aluno, a partir de seus conhecimentos prévios adquiridos em sala de aula convencional, e agora com ajuda de materiais práticos, busque consolidar os conhecimentos adquiridos;

5. Por exemplo, se o aluno em sala de aula aprendeu que a área de uma figura plana regular é dada pela largura vezes o comprimento. E, ainda que para achar o volume basta multiplicarmos esse valor obtido pela altura da figura. O professor poderia levar por exemplo, várias caixas de sapatos de medidas diferentes, outras também poderiam ser confeccionadas de papelão, e etc., dividindo os alunos em equipes, para realizar essa atividade, e claro que com todos os materiais necessários envolvidos na atividade, tais como cola, tesouras, réguas, metros, cadernos para anotações, etc. No caso de envolver algo novo, por exemplo, para encontrar a área total de um sólido, o qual pode ser representado por uma caixa, tirar as medidas de todas as faces, fazendo uma planificação e realizando as contas e posteriormente, conferindo o resultado obtido, com algumas fórmulas normais usadas para isso, aprendidas convencionalmente no ensino de matemática;

6. Uma outra ideia seria usar programas e softwares específicos que encontramos no mercado para utilizar com os computadores e desenvolver esses conhecimentos de uma forma automatizada, os quais muitas vezes produzem bons resultados, porque os alunos já estão acostumados com o uso da tecnologia e do celular, mas que muitas vezes, podem não dar bons frutos pois, certos professores infelizmente ainda não tem essas habilidades técnicas bem desenvolvidas, sendo necessário treinamentos específicos;

7. Nem todos os conteúdos podem ser trabalhados usando uma sala específica de laboratório, mas muitos temas, como probabilidade, porcentagem, equações, operações básicas, ..., podem ser implementados nessas atividades, por exemplo, com o uso de dados cúbicos, baralhos, loterias de números, cálculo de juros simples usando taxas, etc. Podemos por exemplo, fazer compras fictícias, pagando e realizando trocos, usando uma moeda em papel reciclado, etc. Simular um banco fictício, onde podemos levar moedinhas antigas que não valem mais, para fazer trocas, as quais produzem um bom resultado, notadamente quando envolvemos o aprendizado das decimais. São inúmeras ações que podemos usar para trabalhar nessas atividades. Por isso use toda sua criatividade para planejar e inovar suas aulas em laboratório e tenha a certeza do envolvimento com a participação positiva dos alunos;

8. Finalizando, deixamos claro que, se bem planejado esse recurso didático costuma produzir bons resultados, por envolver na prática os conhecimentos da disciplina, a qual costuma ser considerada o "bicho papão" nas escolas brasileiras. É recomendado usar uma apostila ou livro de atividades com essas atividades muito bem definidas numa ordem lógica de conhecimentos.

CONCLUSÃO!

Na nossa humilde visão, inovar as aulas de matemática, realizando um laboratório, com jogos didáticos, brincadeiras e atividades fora da sala de aula, etc., sempre são bem aceitas pelos estudantes, mas prepare-se também para aprender com essas experiências, pois certamente vão surgir dúvidas e questionamentos, mas é uma oportunidade para desenvolver inclusive a criatividade de todos os envolvidos nesse importante projeto educativo. Quando ganhamos a simpatia dos alunos, fatalmente o trabalho flui de uma maneira positiva e essas atividades aguçam muito a curiosidade e motivam os estudantes para se empenharem ao estudo e aprendizado. Se você chegou até aqui com a leitura é sinal de que gostou do artigo, então não tenha medo de inovar, aprender e implementar isso na sua escola. Na rede internet, certamente vocês vão encontrar muitas outras ideias de laboratórios em matemática e de outras disciplinas escolares, que vale muito a pena se inteirar e aproveitar aquilo que se adapte à realidade de sua escola. Desejamos boa sorte e se precisar de apoio, pode contar conosco.  

Espero que tenham gostado do artigo e que o compartilhe com os amigos e pares, para que esse conhecimento não fique paralisado. Sugerimos para essa finalidade, usar os atalhos para as redes sociais que estão presentes ao final do texto ou indicar nosso endereço aos mesmos.

Se você tem outras ideias e quiser expor, fique a vontade para comentar, que teremos enorme prazer em publicar e recomendar. Ainda, se quiser nossa opinião sobre qualquer outro assunto ou esclarecimento, entre em contato, via comentários, que vamos responder sempre no menor prazo possível.

Aproveito a oportunidade para convidá-lo para que se cadastre gratuitamente como seguidor(a) do site, e além de receber todos nosso artigos na comodidade de sua casa, ainda estará ajudando a consolidar esse importante espaço educativo.

Sem mais, agradecemos a todos pela visita e apoio. Muito obrigado!
A Matemática Aqui é Simples e Descomplicada!











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ficou alguma dúvida sobre a postagem acima ou quer deixar uma sugestão?
Escreva seu comentário no espaço apropriado, seja para elogiar, criticar ou expor dúvidas, que publicaremos e responderemos o mais rápido possível.

Atenção: Serão excluídos os comentários contendo propagandas e também aqueles que faltem com o respeito e educação a qualquer usuário do Blog ou, os que venham induzir nosso leitor a acessar conteúdos impróprios e eticamente não recomendados. Desde já, agradecemos sua participação!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...